kamagra kaufen kamagra oral jelly kamagra australia kamagra australia cialis kopen levitra 20 mg viagra online bestellen cialis preise cialis original viagra bestellen levitra bayer kamagra shop kamagra oral jelly viagra generika levitra preis kamagra bestellen cialis 20mg cialis bestellen levitra pas cher kamagra prix acheter viagra viagra sans ordonnance cialis pas cher achat viagra kamagra 100 viagra prix kamagra pas cher kamagra 100 mg cialis sans ordonnance levitra sans ordonnance
Viagra Super Active Viagra Generisk Cialis Gel Generisk Levitra cialis pris Kamagra Gel Viagra Soft kamagra oral jelly cialis generisk viagra online viagra online Generisk Viagra Cialis Online Kvinnor Cialis Generisk Cialis Kvinnor Viagra Cialis Super Active Cialis soft viagra apoteket Kamagra Cialis Soft Viagra sverige Kamagra Online
Acquistare Cialis Strips Viagra Pastiglie Kamagra 100 Cialis online Levitra Generico Test pacchetti Propecia generico Acquistare Cialis Soft Tabs Viagra e generici Levitra Cialis Generico Lovegra Super Kamagra Viagra femminile LIDA Dai dai hua Cialis Pastiglie Acquistare Super Kamagra Cialis Generico Viagra online

A guerra dos Mundos

Não se trata de ser um Mac ou um PC. Ou melhor, até se trata. Trata-se dos mundos que estes criam e os rodeiam. Do seus ecossistemas – que é uma palavra tão na moda. E chegada a era pós-PC (desktop, laptop, anytop) o ecossistema que realmente interessa discutir é o da mobilidade, portabilidade, usabilidade, funcionalidade, facebookcalidade. Pouco interessa se no seu local de trabalho, por natureza do mesmo ou por questões orçamentais ainda tenha um desktop. Há muito que as empresas querem que leve o seu laptop para casa e que faça mais uma horinha de trabalho por dia. Ou que, o que começou com os Blackberry (alguém lhes dê algum crédito. Literalmente :), se estenda hoje a todos os smartphones e agora aos tablets. Responda lá a uns emails às 23h que não lhe faz mal nenhum.

Vem esta estória dos ecossistemas a propósito dos novos brinquedos a estrear nos próximos dias/semanas. O iPad mini e o Surface da Microsoft. À data que escrevo só posso especular sobre o primeiro e pouco ou nada dizer sobre o segundo – embora já tenhamos preços em dólares e especificações técnicas. A Apple já enviou o seu convite e a Microsoft os seus primeiros anúncios televisivos do Surface com gente a dançar e a fazer clic-clac com os fabulosos teclados. Mas de mostrar o que o produto realmente faz…nada.

É que “Há uma app para tudo” e todos esperamos que existam muitas para o Surface. Eu quero que existam muitas. Quero usar, também, este ecossistema …outra vez. É que há 5 anos atrás alguém me fez ver como se criavam raízes. Parece que se tem de plantar a semente – e esta tem de ser boa – e depois regá-la, dar-lhe carinho, falar com ela.

Sabe como é que Apple entrou nas empresas numa altura em que a RIM e os Blackberry dominavam o mundo corporativo? Por cima e em grande. Pelos srs. administradores que levavam os seus novos e gloriosos iPads para o escritório mas que não encontravam forma de os ligar aos sistemas empresariais. Daí a andar tudo de iPhone foi um pulinho. É claro que esta afirmação pode ser exagerada em Portugal. Afinal o nosso parque computacional é maioritariamente Microsoft. Mas na mobilidade? Até há pouco tempo a MSFT não tinha nem smartphones – e sim, também tive a minha parte de HTC com Windows Mobile, mas não era bem a mesma coisa que um Lumia, era? – nem tablets. Agora teremos o Surface. Aposta nesta Fénix?

Share This