Notify, notify me

O título da música dos INXS fica bem perto deste aqui de cima. Só que ao contrário do que rezava a faixa da banda da banda australiana as notificações nos nossos imiscuíram-se de tal forma nos nossos smartphones e nas nossas vidas que, como lia há poucos dias, se tornaram nas campainhas do século XXI. E quem se atreve a não ir ver quem toca à campainha?

Hoje não há aplicação que não tenha qualquer tipo de notificação. Do Runkeeper à Easyjet, do Observador ao Shazam todas tem qualquer coisa para nos lembrar. E se é verdade que todas estas notificações são passíveis de ser geridas nas definições do telefone a verdade é que quando as instalamos achamos sempre que a coisa até irá fazer sentido. A maioria acaba por se tornar intrusiva.

É um pouco por isso que a nova app do Facebook me deixa um pouco desconfortável. Serei só eu? Havendo já tanta Marimba a tocar no meu iPhone de meia em meia hora porque é que seria necessário ter uma app só de notificações? Justifique-se talvez pelo conceito de agregação das notificações numa só aplicação, na descoberta à lá Flipboard de novos fornecedores destes novos micro-conteúdos ou na simples constatação de ser mais um serviço que justifica a existência do Facebook. Talvez seja porque na sede no Facebook se constata que por  cada milhão de utilizadores que a empresa ganha em África ou na Índia existe uma nova geração que olha para o Facebook como a rede “onde os avós ou os pais” têm conta. Terá também sido por aí que a empresa adquiriu o Whatsapp.

O que me leva à app que me despertou a atenção este mês. Chama-se Cola – está nesta altura em beta testing e disponível apenas por convite – e é o que o futuro das plataforma de messaging deveriam ser. O conceito por detrás da app é permitir ao utilizador juntar ao envio de texto umas bubbles, umas mensagens interativas dentro do thread conversa e que permitem que se haja sobre elas. Quer marcar uma reunião? Em vez de andar a saltar do Calendário para a conversa que tal colocar uma Cola bubble onde os intervenientes podem selecionar a hora e local onde se podem encontrar. Ou se está a combinar uma ida ao cinema que tal enviar logo uma lista com imagens dos filmes onde cada um pode escolher o que prefere ir ver. E se vão mesmo ao cinema que tal partilhar uma mapa com a localização de todos. As possibilidades de utilização são vastíssimas até porque a equipa responsável pelo projeto vai disponibilizar uma API para que outros programadores possam criar as bubbles das suas apps. O meu único receio é que as bubbles se tornem em notificações e venham com som de Marimba. O notification overload está muito perto.

Share This