Não chegues tarde!

Há uma app para tudo…até já há 100.000 no MarketPlace do Windows Phone. Mas não é que, mesmo quando a Microsoft anunciava este número redondo, a dívida da Nokia – o principal parceiro com o WP7 – era atirada para o “lixo” pela Moody’s, depois da empresa finlandesa ter anunciado perdas maiores que o esperado no segundo trimestre do ano e de ter anunciado que 1 em cada 5 trabalhadores da empresa a nível mundial teriam de ser dispensados. Conclusão…os smartphones com WP não estão a vender como se pensava – chegaram tarde. Um estudo recente da ABI Research indica que a Apple e a Samsung têm 50% do mercado de smartphones e 90% dos proveito a nível global. O que nesta altura deixa, de facto, pouco espaço para a parceria Microsoft/Nokia.

Não quer isto dizer que não acredite ou não goste do WP7. Pelo contrário. O que me parece é que ambas empresas estão a pagar muito caro o atraso com que chegam ao mercado. E se isso é válido para os smartphones é valido para os tablets.

A 18 deste mês a Microsoft veio anunciar com pompa, circunstância  e algum show Apple alike a nova geração de Tablets/PC que irão correr Windows 8.

Como provavelmente já sabe a ideia é que os mundos se aproximem. Os smartphones dos tablets e os tablets dos PC’s num ecossistema onde todos têm a ganhar.

E na minha perspectiva a Microsoft entra bem. Cria uma nova linha de produtos que se confundem entre o tablet e o ultrabook. O SURFACE, nome dado ao dispositivo, é um produto Microsoft. Ou seja, embora a empresa vai licenciá-lo a OEM’s, existirá um produto da “casa”. E aqui perco-me um pouco. Não é uma inversão dos valores da marca mas mais uma vez é meio Appleiano. Se vender licenças, como se afirma, a 85 dólares aos OEM’s enquanto se lança um produto da casa não é controlar hardware e software então temos a já famosa linha que hoje em dia separa tudo.

Agora, verdade seja dita, a Microsoft tem pelo menos a coragem de dar um passo em frente. De criar um produto inovador. Vai competir com o iPad ou o MacBook Air? Ou com os dois, visto ter uma versão a correr RT e outra Pro? O que não certamente é mais um milhentos tablets Android. É um passo evolutivo – até o do Smart Cover da Apple para o Touch Cover da Microsoft.

Agora só falta vê-los no mundo real – que será lá para datas de lançamento do Windows 8 e saber quanto custam para saber quem são os concorrentes. A bem de todos, que não tenham chegado tarde.

Share This