Alecrim e Manjerona

Os Green Day querem sempre que os acordem “when september ends”. Eu prefiro um mês antes. Apesar da conjuntura e por mais que tente agosto é para mim um mês falhado. Venha setembro então. Este ano sabíamos que o mês traria novidades do lado de Cupertino. Não era o cheiro a Napalm pela manhã mas tinham sido as indicações de Tim Cook em junho. Haveria iOS7 e novo hardware, vulgo iPhone(s). Acontece que ainda antes disso viriam novidades de Redmond. Logo início do mês a Microsoft adquiriu a Nokia. Era algo que de alguma forma se esperava desde que, em 2010 – também em setembro – Stephen Elop deixou Ballmer sozinho para ir liderar o adormecido gigante finlandês. Na verdade ambos tinham adormecido à sombra da bananeira e a parceria do hardware da Nokia com o Windows Phone mais que desejada era esperada. Passados 3 anos as coisas pouco mudaram. O duopólio Android/iOS continua a dominar e os recentes rumores de que a Nokia andaria a testar terminais com Android devem ter assustado Ballmer. Este anunciou a sua retirada gradual da MSFT, que logo a seguir anuncia a compra da Nokia e Elop retorna por certa a Redmond com 19M€ a mais no bolso. Perdeu-se? É caso para isso. Se esta trama não se aproxima das ópera lírico-jocosa de António José da Silva só está mais perto de uma novela venezuelana. Mas este meio não para. Logo no dia seguinte surgia a mais deliciosa novidade do mês. Literalmente. A Nestlé entrava no mundo mobile pela porta grande. E não, não era uma nova aplicação para crianças. A empresa tinha estabelecido com a omnipresente Google  uma parceria que levaria esta última a apelidar a sua nova versão do dominante sistema operativo mobile de Kit Kat. Abria-se um novo mundo de sponsoring…o dos sistemas operativos. Enquanto isso, a Blackberry anunciava mais de mil milhões de dólares de perdas no último trimestre, o despedimento de mais de 4000 colaboradores mas também o lançamento do BBM para iOS e Android. Será a despedida gradual do hardware? Terminamos como comecei. A Apple prometeu e cumpriu. Lançou o iPhone 5S, que será o maior salto qualitativo dos ‘S. Duma acentada resolveu um dos maiores problemas da Internet com o a introdução do multi-path TCP no iOS 7 e apresentou o Touch ID. Mais que uma forma de desbloquear o iPhone o sensor e leitor de impressões digitais, diz Tim Cook irá permitir fazer compras apenas com o reconhecimento da impressão digital. Pouco depois corria na Internet um vídeo onde alguém algures no Oriente utilizava o sensor não para reconhecer o dedo mas…o mamilo. Está a ver bem as potencialidades desta coisa?
Share This