A lei de Newman

Carteiro de profissão e um dos personagens mais assustadores da comédia, Newman da série Seinfeld já afirmava “Quem controla o correio…controla a informação”. Vem esta lei a propósito do facto de que, apesar de haver uma app para tudo, cada indivíduo que possa ser considerado como um “utilizador regular/médio” – o que abre em média 8 aplicações por dia -, utilizará, naturalmente, diferentes aplicações de acordo com o seus interesses e estilo de vida mas, não deixará de abrir e utilizar…as básicas.

Embora se verifique que muito do tempo passado nos smartphones é utilizado em jogos – o que é normal pela natureza da sua utilização – a condição mais básica destes dispositivos continua a ser a mesma: Comunicar.

A diferença é que hoje não o fazemos apenas por voz. As redes sociais – o Facebook – são uma fatia gigante do tempo passado de smartphone na mão e as mensagens de texto continuam a ter uma utilização massiva. Crescente mesmo.

Prova disso são as plataformas e/ou as aplicações de messaging que vem surgindo em catadupa e angariando milhões de utilizadores. Foi o BB, é o Whatsapp, o Facebook Messenger, o iMessage e é agora o Kik como são outras centenas de apps que promovem o envio de mensagens. A guerra das mensagens veio para ficar porque, no fim de contas o queremos mesmo é “chegar ao outro”. É um back to the basics de que na realidade nunca saímos. Enviar mensagens é simples e eficaz. Pergunte aos miúdos. Ou aos operadores de telecomunicações o negócio fantástico que tem com o envio de SMS.

Os modelos de negócio desta imberbe indústria mobile são disruptivos em muitas formas mas no essencial giram à volta do mesmo de sempre: + nº de utilizadores/clientes = +€

E é disso que falamos quando ouvimos o surgimento do Babel. O novo serviço/app da Google que vai juntar o Google Talk, Hangouts e Google Messenger numa só aplicação. Isto para logo a seguir o juntar ao Google+ e o tornar (ainda mais) relevante face ao Facebook.

Numa altura onde plataformas de mensagens e redes sociais se imiscuem umas nas outras o Facebook é, por ora, rei e senhor. Tem aproximadamente mil milhões de utilizadores em ambiente móvel por mês e a cada um destes rouba em média 30 minutos por dia.

Agora consiga a Google colocar o Babel por cima das aplicações como o Facebook fez com o Home e temos vencedor anunciado. Some os utilizadores do Youtube, Pesquisa, Gmail, Chat, Google+ e comece a questionar o futuro do Facebook. O Newman é que sabia…quem domina o correio, domina tudo.

Share This