Dá-me música

Maio é mês de Rock in Rio e, este ano, de ótimos concertos. Com o calor chegam também os festivais por isso o tema deste mês não podia fugir da música. Em primeiro lugar e para os detentores de iPhones e derivados esperem um revamp do serviço Apple Music por alturas do lançamento do iOS 10. A tentativa de lhe juntar um cunho de redes social com o @connect foi um tiro ao lado do gigantesco porta-aviões que é o serviço de streaming de música e deve desaparecer. Fazer o contrário – aparecer -, é o que pode e deve acontecer a algumas das músicas que misteriosamente desapareceram do iTunes de alguns utilizadores. Se não lhe aparecer ela estará por certo numa das milhares de Jukeboxes digitais que estão a surgir em bares pelo mundo. É verdade que este é um fenómeno que dificilmente replicamos em Portugal. Não temos esse hábito enraizado. Mas tal como treinadores, em cada português há um DJ. E colocar na mão dos clientes a música que passa no bar não deixa de ser uma ideia genial. Arriscada, mas genial. Provavelmente o screening à entrada terá de ser pelo gosto musical e não pela indumentária. Este fenómeno é, no entanto, crescente em países do norte europeu e mesmo nos EUA assiste-se a um renascimento da jukebox. Aplicações como o Touch Tunes ou o Play My Song colocam literalmente na mão do utilizador a música que passa a seguir no bar ou restaurante. Paga para tal claro. Por música que quer ouvir tal como numa jukebox antiga. E paga extra se quiser que a sua escolha seja a “próxima” a tocar. Depois de umas cervejas é coisa para gastar mais dinheiro a “meter música” do que nas bebidas.

Se bares não são a sua onda e prefere o conforto do lar – até porque as bebidas hão de ficar mais em conta – afine a garganta, aqueça os dedos e faça download do Sing! A aplicação de Karaoke conta com uma variedade já grande de músicas portuguesas e pode arriscar um solo, arranjar alguém para um dueto ou mesmo cantar em grupo. O modelo de negócio Sing! é distinto do das Jukeboxes. Aqui canta o que quiser, quando quiser desde que pague a subscrição. Seja a que escolher tem a opção de gravar música e vídeo em modo selfie. Tem depois a opção de as partilhar nas redes sociais mas isso é algo que certamente farão mais os seus amigos por si do que o leitor, certamente avisado que os seus dotes vocais devem ficar por casa.

Seja como for o bom tempo parece estar aí e o Verões têm sempre uma banda sonora diferente. Este ano faça a sua. No bar, em casa ou nos festivais. Já viu como as aplicações mobile juntam a comunicação empresarial e a música? A aplicação da Vodafone, crónica patrocinadora do Rock in Rio vai permitir aos utilizadores entrarem 30 minutos mais cedo no recinto. Já a aplicação da Via Verde tem à venda vários packs para os Festivais de Verão que, além de “faixa” de acesso exclusiva para os seus clientes lhes oferece também o estacionamento nos parques mais próximos. No Super Bock Super Rock por exemplo os dois benefícios são conjuntos e o acesso é feito pelo parque de estacionamento.

O calor está aí. Escolha as apps certas, leve o seu smartphone e ponha-se ao fresco.

Share This