Missão Impossível

…4,3,2,1, fumo e foi-se. O Tom Cruise já não terá muitas MI pela frente mas a questão da segurança das mensagens electrónicas está para durar. Dan Kaminsky, um dos gurus da criptografia mundial – que ao identificar uma falha crítica no sistema de DNS praticamente “salvou” a Internet como a conhecemos – ainda há pouco tempo afirmava que “Não existe tal coisa de 100% seguro. Não aconselho ninguém a colocar a sua vida em risco com o uso de qualquer dispositivo electrónico de consumo ou qualquer software.”

Vem este tema a propósito de algo que já abordei nesta coluna – a proliferação das aplicações de texting, substituindo o serviço de mensagens curtas mas também o uso das redes sociais e o papel crucial que estas tiveram e continuam a ter em situações de conflito, fosse no eclodir da Primavera Árabe como este mês nos macabros vídeos divulgados pela oposição Síria.

A Internet não esquece. E os serviços de mensagens também não. O máximo que pode fazer se não quer que a sua mensagem seja perpetuada é utilizar um sistema de mensagens à lá Missão Impossível.  Tem o Snapchat,  um serviço de partilha de fotos por mensagem que se destroem num período de tempo pré-determinado pelo remetente. É uma aplicação e um serviço ao género light, do tipo “o que acontece em Vegas fica em Vegas”.  Nas situações de conflito quere-se algo mais consistente, algo que, quando uma vida está em jogo, ofereça maiores garantias de segurança. E aqui temos como referência a aplicação para iOS Wickr. Desenvolvida por peritos em segurança e auditada pelo Sr. Kaminsky acima referido a aplicação, mais do que ter a funcionalidade de automaticamente apagar as mensagens do telefone do receptor, encripta-as com uma chave-única de tal forma que nem a própria aplicação reconhece o que a sua mensagem contém. Só o receptor tem a capacidade de desbloquear o conteúdo da mensagem e, tal como Snapchat dá-lhe a possibilidade de comandar a sua autodestruição desde um mero segundo após ser desbloqueada até 6 dias. É aplicação de referência para os paranoicos da segurança, os freaks da privacidade, certamente os jornalistas em situações de conflito ou os utilizadores frequentes do BWF. Não sabe o que significa a sigla? Google it! Asseguro-lhe que não é nem a Federação Mundial de Badmington nem a de brasileira de Wrestling. Tratamos dessa app no próximo mês que este foi removida da App Store pela Apple.

 

 

Share This